+55 21 2275-0146
aprender a correr

Aprender a correr: o que é preciso para estrear em corridas internacionais

Share now:

Deu aquela vontade de estrear numa corrida internacional e você não tem a mínima ideia de como colocar isso em prática? Saiba que hoje existem corridas em várias partes do mundo, das mais diferentes distâncias e para corredores de todos os níveis técnicos. Mas, para tornar esse sonho uma realidade, é preciso ficar atento a vários detalhes e se planejar com antecedência. Para ajudá-lo nessa empreitada, confira aqui algumas dicas essenciais para estrear com chave de ouro nesse mundo das corridas internacionais.

Escolha a prova

Estabeleça sua prova o quanto antes, que seja para daqui um ano ou daqui 6 ou 8 meses. Grande parte das boas provas nos Estados Unidos , Europa e America do Sul, acontecem nos meses de março, abril e maio e depois em setembro, outubro e novembro, quando as temperaturas são mais agradáveis para correr no Hemisfério Norte ou aqui pertinho do Brasil. Mas isso não é uma regra, existem excelentes provas em outras épocas do ano, como Disney e Miami, por exemplo, que acontece em janeiro. O importante é ficar de olho no calendário para não perder as inscrições, principalmente em grandes provas, que são bem concorridas.

Treine para a distância

Escolhida a prova, é hora de se preocupar com a programação do seu treinamento. Se sua opção é por uma maratona ou meia, fazer parte de um grupo de corrida pode ser uma boa pedida, já que um profissional pode planejar seu treino de forma adequada para a distância que pretende fazer. Não pule etapas. Se você nunca fez sequer uma meia maratona, talvez não seja a hora de encarar os 42 km. Um profissional vai ajudá-lo a estabelecer metas e a programar de forma adequada sua planilha.

Procure sua turma

Fazer parte de um grupo de corrida pode ser bem interessante para quem vai correr pela primeira vez no exterior. Além de ter companhia nos treinos mais puxados, treinar em grupo vai ajudá-lo a se comprometer com as pessoas. Além disso, é comum em grupos de corrida mais pessoas estarem treinando para um mesmo objetivo. Quem sabe você não pode planejar uma viagem em grupo e representar o Brasil no exterior? Outra vantagem de treinar em grupo é a troca de informações com corredores mais experientes. Lembrando sempre que viajando com outras pessoas você certamente conhece pessoas com o mesmo interesse e objetivos.

Participe de provas no Brasil

No seu planejamento, inclua a participação em algumas provas no Brasil para não chegar à sua prova-alvo como “marinheiro de primeira viagem”. Se você vai fazer uma meia maratona, por exemplo, tente fazer algumas provas de 5 km ou 10 km. No caso de maratona, é importante fazer pelo menos uma ou duas provas de 21 km antes dos 42 km. Isso vai ajudá-lo a ter ritmo de competição e mais confiança para encarar a distância.

Planeje sua viagem com antecedência

Não basta escolher a prova que vai fazer. É preciso programar a viagem e saber se consegue inscrição para a corrida. Há algumas provas, como as Maratonas de Nova York, Boston, Londres, Tóquio e outras, em que as inscrições são vinculadas a pacotes de turismo e só as agências oficias desses eventos no Brasil podem comercializar a inscrição, apresentando pacotes já prontos, com a programação completa. Você apenas define as datas de ida e volta e, se for seu caso, extensões.

Cuidado com o fuso

Fique atento à sua data de ida. Para cada hora de diferença de fuso, teoricamente você precisa de um dia a mais na cidade para minimizar os efeitos do fuso e do jet lag. Seguindo essa regra, considere o seguinte: para Europa, calcule chegar ou 4 ou 5 dias antes. Para EUA, três dias são suficientes. Em viagens mais curtas, como para a Argentina ou Chile, por exemplo, programe-se para chegar na sexta-feira. Se vai passear no local ou imediações, melhor sempre correr primeiro e deixar o passeio para depois. Ir muito tempo antes da prova pode tirá-lo do foco principal, que é a corrida, principalmente se você viaja acompanhado com a família.

Voos não muito longos

Fique atento na hora da escolha dos voos. Viajar em alta temporada é mais caro. Isso para qualquer lugar do mundo. Mas, se planejar tudo com muita antecedência, pode conseguir preços mais acessíveis. Procure não fazer voos cansativos, daqueles que demoram 18 horas ou mais para chegar ao local e vão pingando de cidade em cidade. O barato pode sair caro. Não adianta nada economizar na escolha do voo e botar tudo a perder numa viagem que tem o foco na corrida.

Não esqueça do seguro-viagem

Para países na Europa e África, é obrigatório fazer um seguro no valor estipulado. Para entrar nos EUA, não é obrigatório, mas é algo imprescindível. Você nunca sabe se pode ou não precisar de um atendimento emergencial médico ou dentário. Melhor sempre se prevenir. É também uma forma de proteger sua bagagem contra extravios ou até se precaver em relação a cancelamentos de voos.

Passaporte válido e visto

Tire passaporte e visto com antecedência. Não deixe para a última hora. Nunca se sabe quando as regras mudam. Embora hoje em dia tudo é feito com agendamento, há épocas em que é difícil conseguir uma data próxima, principalmente perto de férias escolares. Se você já tem passaporte, confira a validade. Sempre se informe o que é necessário para entrar no país. Para EUA e Canadá, por exemplo, o visto é obrigatório. Para países da Comunidade Econômica Europeia, não é necessário visto para brasileiros, mas atente que seu passaporte tem que ter validade de até 3 meses após sua data de saída. Se seu passaporte estiver prestes a vencer, providencie outro para não ter problemas ao desembarcar. Você pode viajar para os países da América do Sul (do Mercosul) com RG.

Informações com pessoas que já fizeram

Peça informações para pessoas que já fizeram a prova. Com certeza, elas são a melhor fonte de informação sobre percurso, altimetria e o evento em si. Você pode conseguir dicas preciosas num simples bate-papo. Caso a prova seja muito diferenciada e não encontre nenhum corredor para falar dela, faça uma busca na internet para ver se encontra alguma experiência pessoal de algum corredor e fique sempre atento ao site oficial da prova.

Check-list de última hora

Para não esquecer nada, cerca de uma semana antes de viajar, faça um check-list de tudo o que vai levar na viagem e do que será necessário providenciar, como passaporte com visto (se for o caso também o passaporte válido), carta de motorista, cartões de crédito, dinheiro trocado na moeda local, senha de cartão de crédito, acessórios e roupas que vai utilizar na corrida. Não deixe isso para última hora. Ligue para seu banco para desbloquear o uso do seu cartão no exterior e também para sua operadora, para verificar se seu celular está liberado para operar em roaming.