+55 21 2275-0146
viajar com crianças

Guia para viajar com crianças para correr no exterior

Share now:

Se você está planejando viajar para correr uma prova lá fora e aproveitar os dias de folga para tirar férias com as crianças, fique ligado nas dicas a seguir, para que sua viagem saia dentro do planejado.
Hoje em dia, vários eventos oferecem também programação para as crianças, como a Disney Marathon Weekend, a Maratona e a Meia maratona de Nova York, entre outras, além de algumas corridas “for fun”, com distâncias entre 3 km e 5 km, que podem ter participação das faixas etárias um pouco maiores, entre 12 e 15 anos. Essas inscrições costumam terminar muito rapidamente, já que as vagas são limitadas. Portanto, assim que programar sua prova, certifique-se de garantir também a inscrição dos “pequenos”.

Não existem restrições para viajar com crianças de colo, mas evite levar recém-nascidos, que são mais vulneráveis a infecções e problemas de saúde. O ideal é que tenham mais do que 3 meses, idade em que o bebê já tomou as principais vacinas. Algumas companhias aéreas permitem crianças com mais de 7 dias e outras de com mais de 10 dias.

Não basta planejar a viagem e não ficar atento a informações importantes na hora do embarque. Mesmo crianças precisam de passaporte para viajar para o exterior (e visto, se necessário) e RG ou certidão de nascimento original no caso de viagens para os países do Mercosul. Os novos passaportes (desde 2014) trazem informação do parentesco. Se não tiver essa informação no passaporte em uso, é preciso levar certidão original para comprovar o parentesco.

Para menores de 18 anos que viajam somente com um dos pais, é preciso incluir uma autorização de viagem no próprio passaporte. Caso não tenha esse documento, é necessário ter uma permissão registrada em cartório em 3 vias (uma para o aeroporto de origem, outra para o aeroporto de destino e outra para ficar com o menor).

Prefira voos noturnos e diretos ou, se não for possível, pelo menos com conexões curtas. Para locais muito distantes e voos que levam muitas horas para chegar ao destino final, talvez seja uma boa fazer uma quebra na viagem e dormir um ou dois dias na cidade de conexão para depois completar a viagem. Verifique com a companhia aérea se é possível viajar nas fileiras da frente, que são mais espaçosas.

Passageiros com bebês têm preferência no check-in, nos assentos diferenciados (avise ao marcar o lugar) e no embarque. Crianças até 2 anos podem viajar no colo pagando no máximo 10% da passagem em voos internacionais. Para viagens muito longas, reserve um bercinho (para crianças até 2 anos ou até 10 kg) até 48 horas antes voo. Em geral, há taxas pelo berço, mas você pode também usar o bebê ou a cadeirinha usada nos carros, desde que sejam certificados pela Aviation Child Safety Device. Na hora da decolagem, dê a chupeta para o bebê para evitar desconforto causada pela pressão.

Não é preciso despachar o carrinho de bebê no momento do check-in. Ele pode ser despachado no portão de embarque, o que facilita o transporte da criança no aeroporto de origem e de destino. Leve duas trocas de roupa, paninhos para limpar a boca e fraldas, mamadeiras já prontas apenas para misturar na água, lenços umedecidos, mamadeiras vazias para água e suco, remédios e um cobertor ou manta para proteger bem o bebê do ar-condicionado do avião. No caso de papinhas, peça aos comissários para que sejam aquecidas. Em geral, os aviões possuem trocadores de fralda.

Para criança um pouco maiores, não dependa apenas da comida do avião. Leve no voo uma bolacha, barrinhas de cereais ou alguma coisa que seu filho esteja acostumado a comer. Para entreter a criançada durante o voo, leve tablets, livros e jogos para que o tempo passe mais rápido e eles não sintam tanto as longas horas passadas dentro do avião.

Para entreter as crianças durante a estadia no local de viagem, procure locais em que haja uma boa programação para elas. Não adianta inventar uma viagem para Paris com uma programação repleta de museus de arte e longas caminhadas para ver monumentos históricos. Faça uma boa pesquisa no local e procure ir a zoológicos, museus infantis, parques, locais em que haja atividades esportivas ou ao ar livre. Monte sua programação de viagem de uma forma que não sacrifique as crianças.

Antes de viajar, carregue com você o endereço e telefone do centro de saúde mais próximo do seu hotel para não ser surpreendido se precisar de alguma emergência. Tenha sempre seguro-viagem à mão e o telefone de contato do pediatra das crianças se precisar tirar alguma dúvida.

No dia da prova, é preciso alguém para ficar com os menores de idade. Se pai e mãe vão correr, providencie com antecedência uma baby-sitter ou alguém de confiança para ficar com as crianças. Não é recomendável de forma alguma deixar os menores dormindo no quarto sozinhos, ainda que a prova seja muito cedo e os pais acreditem que terminem antes de a criança acordar.